OS PARQUES TEMÁTICOS DE ORLANDO

UNIVERSAL STUDIOS
Nosso personal concierge, comprou os passaportes que dão direito a ir aos dois parques da Universal Studios no mesmo dia, o pacote é mais em conta. Ao chegar decidimos começar pelo Islands of Adventures e depois ir para o Universal Studios.

Logo no primeiro brinquedo, notamos que seria muito complicado fazer os dois parques em um único dia. São muitas atrações, brinquedos, e todos com muita fila. Fomos informados que poderíamos comprar um bilhete “fura fila”, com ele você pega filas menores e consegue poupar muito tempo.

Todavia o valor é bem alto. Outra opção seria pagar uma diferença e desmembrar os ingressos. Faríamos um parque neste primeiro dia e o outro no dia seguinte. Optamos por este e foi excelente, tivemos tempo de conhecer os dois parques inteiros,  de brincar em todos os brinquedos e ainda repetir os que mais gostamos. Nossa dica é reservar um dia para cada parque. É suficiente para aproveitar bem.

ISLAND OF ADVENTURE

Faz parte dos Parques da Universal e é super bem recomendado. Foi o primeiro parque que visitamos, ficamos o dia todo e conseguimos aproveitar bem as atrações. 
O parque é dividido em vários temas, vou começar pelo mais procurado, inclusive, só conseguimos fazer este a noite, quando os visitantes começaram a ir embora. Durante o dia toda vez que passávamos por ele tinha uma fila imensa.

THE WIZARDING WORLD OF HARRY POTTER – HOGSMEADE
Esta área do parque, caracteriza o vilarejo Hogsmeade, dos livros e filmes do Harry Potter. É fascinante, cenário muito realista. Você se sente transportado para outro local. São cinco atrações mas vou mencionar as duas que fizemos e são excelentes:

– Harry Potter and the Forbidden Journey: a viagem pela história do Harry Potter é impressionante mesmo que você não goste ou conheça a história, como eu 🙃. Vale a pena pelo conjunto de efeitos especiais.  Enquanto você está na fila você faz o Castle Tour – eles se preocuparam com esta parte nos dois parques da Universal, as filas não ficam amontoadas nas ruas, dentro das atrações eles montam “labirintos” onde as filas passam e enquanto aguardamos a nossa vez vamos entrando no clima da atração, recebendo informações e observando os cenários cuidadosamente pensados para cada tema – ao final está o Simulador, uma aventura 4D que te leva a voar na companhia de Harry Potter.

– Dragon Challenge: São duas montanhas russas com percursos entrelaçados. Se tiver a chance e curtir atrações radicais, vale ir nas duas! Nós, sem dúvidas, elegemos as montanhas russas como brinquedo mais curtido em todos os parques. Fizemos e repetimos 2 vezes cada uma🎢🎢🎢.

Visitamos todas as lojinhas desta área e pra quem é fã da história, há possibilidade de comprar itens muito legais que não acredito que sejam facilmente encontrados fora do parque. Também fazem uns shows por lá mas não parecia ter muita graça, então não assistimos.

JURASSIC PARK

Baseado nos clássicos do cinema, também tem um cenário muito legal, e alem da atração que fizemos há outras destinadas às crianças.
– Jurassic Park River Adventure: essa é muito legal, mas só recomendo nos dias de calor porque molha bastante. Como fomos em pleno verão foi um bônus para refrescar. Além de molhar, ela também é uma retratação muito bem feita do filme Jurassic Park. Indico.
Nesta área tem alguns dinossauros onde dá pra tirar fotos legais.

SKULL ISLAND: REIGN OF KONG

– Skull Island: Reign of Kong: este simulador é super bem feito e pra mim é  imperdível. A parte de espera também já faz parte da atração, cheia de efeitos especiais. Neste foi até mais marcante que o próprio simulador rsrs.

MARVEL SUPER HERO ISLAND

Aí os Nerds de plantão piram. Nós adoramos esta área do parque, nas lojinhas queríamos tudo. Nos divertimos até nas ruas analisando os personagens espalhados sobre as lojas.
Os personagens costumam aparecer e é possível fazer uns cliques ao lado deles.

– The Amazing Adventures of Spider-Man: esse simulador do Homem Aranha é impressionante. Os efeitos especiais são tão bons, que tem hora que você perde um pouco a noção e se pergunta se está em um filme ou se aquilo é de verdade. Falei pro marido: estes simuladores são excelentes pra gente saber a sensação que os personagens vivem. Um dos meus preferidos do parque. 

– The Incredible Hulk Coaster: essa é também uma das melhores montanhas russas de Orlando, super rápida, mas dá mais medo olhar de fora do que propriamente ir. Meu bem gostou mais desta que eu. Ela é bem forte mas rápida demais. Quando achei que tava começando, já estava acabando. Preferi as lá do Harry Potter, mais longas, quando vc começa a se recuperar a loucura começa de novo… 🙃🙃

Doctor Doom’s Fearfall: é um elevador que sobe bem rápido. Acho bem mais ou menos. Pra mim foi quase decepcionante, porque ele não tem uma queda total. Você sobe rápido e desce até a metade e depois desce o resto devagar… Eu acho que devia ser o oposto. Como diz meu esposo, nosso limite de adrenalina é meio acima da média rsrs mesmo assim fizemos 3 vezes 🤣.

THE LOST CONTINENT

A primeira área que visitamos no parque… 
👎👎👎👎👎
– Poseidon’s Fury: é um show meio sem pé nem cabeça. Você entra em diversas salas e um ator fica interagindo com projeções e esguichos de água. O espaço é muito legal mas na minha opinião, é uma atração mal executada. Não recomendo.
Observação: o Eduardo tá aqui revoltado comigo. Ele disse que gostou muito desta atração kkk Então eu des-não-recomendo e recomendo ir e tirar suas conclusões😉.

UNIVERSAL STUDIOS

Quem curte cinema não pode deixar este parque fora do roteiro. Embora tenha atracoes infantis, é mais voltado para adultos. Ele parece uma grande cidade, ou varias grandes cidades já que como no Island of Adventure, também é dividido em áreas e a maioria recebe nome de grandes cidades americanas, suas ruas recebem nome e cenário semelhantes às cidades que remetem. Aqui também quase não se vê filas espalhadas, os locais das atrações são planejados para que as filas sejam dentro das estruturas temáticas. 
Neste parque também há uma área dedicada à Harry Potter mas nao fomos por ser algo mais juvenil. 

SAN FRANCISCO 

Não tem nenhuma atração mas dá tirar umas fotos na réplica de São Francisco e seguir o passeio, em 2018 vão inaugurar uma atração de velozes e furiosos que já está em construção. Eu adoro, desejei que já estivesse fincionando.

NEW YORK

– Revenge of the Mummy: ela acaba muito rápido, é relativamente leve e não tem loopings. A graça está mais no cenário criado do que qualquer coisa.
– Race Through New York Starring Jimmy Fallon: atração de simulador com Jimmy Fallon, famoso apresentador de TV americano. Acredito que seja realmente voltado para quem é daqui… a gente nem sabe quem é o cara kkk. Não fomos.

PRODUCTION CENTRAL

– Hollywood Rip Ride Rockit: bem legal, não está entre as melhores mas tem sua emoção. O diferencial aqui é que você anda na montanha russa com a música que você escolhe na tela que fica em frente a sua cadeira. Você é filmado durante a atração e pode ver (e evidentemente comprar) o filme na saída. A fila é enorme e ao contrário da maioria não tem nada legal pra ver no caminho, só um vídeo de instruções para escolha da musica que ficam repetindo.

– Transformers The Ride-3D: é um simulador 3D no mesmo estilo do simulador do Homem Aranha (do Islands of Adventure), super concorrido. Conseguimos ir apenas no final do dia, mas é muito bom e compensou a espera. Muito realista e emocionante.

– Despicable Me Minion Mayhem: é a atração do filme Meu Malvado Favorito, um simulador com os personagens do filme que todo mundo ama – Minions😍😍. Eu queria muito ter ido mas a fila era a maior de todas, não consegui 😔.

– Shrek 4-D: um filme em 4-D com o Shrek, mas nada demais. Defino em uma palavra: Engraçadinho!

HOLLYWOOD

Essa área é bem caracterizada, mas chama a atenção pelo cenário não pelas atrações em si.
– Terminator 2: 3-D
– Horror Make Up Show
Não fomos.

WOODY WOODPECKER KIDZONE

– E.T. Adventure: minha atração favorita deste parque 😍😍😍. Me fez querer assistir novamente o filme… sentir aquela nostalgia, relembrar a história e a vontade de chorar com o filme. O simulador é super legal, a gente vai levar o E.T. na bicicleta para o planeta dele. Eu amei!!!

Nesta área tem mais algumas atrações voltadas para crianças.

SPRINGFIELD

– The Simpsons Ride: é um simulador muito bem feito só que sacode bastante. O estômago dá uma revirada.

WORLD EXPO

– Men in Black Alien Attack: outra que virou minha queridinha, é um simulador e uma competição. Cada pessoa tem uma arma e tem que atirar nos aliens. No final aparece sua pontuação. Achei muito divertido.

– Fear Factor: difícil até de explicar, mas é um show com uma espécie de gincana outra atração mais voltada para americanos. 

Durante o dia também é possivel assistir algumas apresentações musicais e paradas pelas ruas do parque.

MAGIC KINGDOM 

Este é o principal parque de Orlando, apesar se não estar localizado propriamente lá, mas sim em seus arredores. Um outro equivoco recorrente é  ser chamado de Disney World, na realidade ele é apenas um dos parques do complexo da Disney, baseado na Disneyland, que fica na Califórnia. Ele é o famoso parque onde fica o castelo da Cinderela, aquele que ilustra várias propagandas da Disney e por isso é confundido com toda ela.

Na minha opinião é o melhor parque para levar crianças, especialmente as meninas. 
O Magic Kingdom é um parque grande, com muitas atrações que misturam shows e brinquedos, além das performances como as paradas, que acontecem durante todo o dia, as apresentações no castelo e o show de fogos Happily Ever After. Planeje bem o seu dia, eu me baseie nos parques da Universal e fiz um pré roteiro que segui utilizando o Time Guide, encontrado na entrada do parque.
Nós estávamos um pouco cansados e decidimos chegar um pouco mais tarde, vale lembrar que se gasta um tempo considerável depois que se chega ao complexo da Disney até o Magic Kingdom, é bem distante, precisamos pegar o trem e fazer uma baldeação. Perdemos o show de abertura mas pudemos aproveitar as demais atrações.

– Mickey’s Royal Friendship Faire:  acontece algumas vezes no dia, é um show que acontece em frente ao castelo, com a presença de personagens queridos: Mickey e sua turma, princesa Tiana, Rapunzel, Anna, Elsa e Olaf, entre outros. Fique de olho no Time Guide para não perder o espetáculo. Nós demos sorte e exatamente quando estávamos na praça do castelo fizeram um. Adoramos!!!

TOMORROWLAND

É a região futurista do parque, fizemos apenas dois brinquedos porque achamos os outros meio sem graça ou muito infantis.

– Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin: atração em que cada pessoa tem uma arminha e tem que atingir os alvos ao longo do caminho. No final, cada um vê sua pontuação. A gente curte uns tirinhos neh…🙂
– Space Mountain  : montanha russa no escuro, eu gostei bastante embora chacoalhe muito e não seja das mais emocionantes. A fila era imensa.

FANTASYLAND

Essa é a região mais “Disney” do Magic Kingdom, o que significa que
as atrações são mais voltadas para as crianças. Passeamos pelo local mas não fizemos nenhum brinquedo.

ADVENTURELAND

Uma região bem curtinha do Magic Kingdom mas com boas atrações. As lojas da Adventureland vendem quinquilharias como chapéus de safari, cobras de plástico, roupas de dança do ventre e espadas de plástico. Mas a gente adorouuu… compramos um monte de coisas, principalmente relacionadas a caveiras que eu amo. A vontade era levar um monte de coisas totalmente inúteis mas bem legais.

– Pirates of Caribbean: tudo nessa atração é legal, da fila a saída. Ela inteira te faz se sentir em um cenário completamente diferente do resto do parque. A gente curte o filme e gostou da atração. 
– Swiss Family Treehouse: é uma trilha que passa por uma casa na árvore bem grande. E só! Mas é legal porque acredito qur muita gente já quis fazer uma casa na árvore, né?!?

FRONTIERLAND

A Frontierland é a região “velho oeste” do Magic Kingdom como todas, super bem caracterizada. Aqui também passam as paradas e vimos uma enquanto estávamos por lá.
– Big Thunder Mountain: montanha russa bem leve mas legal.
– Splash Mountain: montanha russa na água que molha bastante, principalmente se você estiver na primeira ou na segunda fileira do barquinho. A gente curtiu essa coisa de refrescar um pouco do calor de verão.

LIBERTY SQUARE

A menor região do Magic Kingdom.
– Haunted Mansion: minha atração favorita do parque, é um “trem fantasma”, mas é engraçado, não sentimos medo, mas ouvimos uns gritos bem aterrorizados por lá rsrs. 
– The Muppets Present… Great Moments in American History: apesar de todo meu planejamento, deixei esta atração passar batido. Ficava entre as atrações infantis, mas eu adorava Muppets Babies e morro de saudades😓.

GRAN FINALE

– Happily Ever After: é show de fogos noturno do Magic Kingdom, na minha opinião, vale o preço do ingresso por si só e é imperdível! Impossível não se encantar e muito bem produzido.

SEA WORLD

Além de todos os shows impressionantes com animais marinhos,  na minha opinião as montanhas russas do parque são as melhores de Orlando. Colocaram as outras todas no chinelo. A gente gostou tanto que perdi as contas de quantas vezes fomos em cada uma. 
Aqui também acho indispensável fazer um planejamento e ter uma tabela de horários, levei até uma caneta para me organizar melhor. Neste parque os ingressos “fura-fila” são bem mais em conta e além de dar direito a passar na frente das filas nos brinquedos ainda tem lugares reservados nas apresentações. Nós compramos e eu acho que valeu muito a pena.

– One Ocean (Shamu Stadium): é um show imperdível e impressionante. São várias baleias🐋 que fazem acrobacias em um tanque gigantesco, brincam com os treinadores.  Se estiver com calor, pode sentar nas fileiras mais próximas do tanque para levar um banho d’agua.
Eu amei😍😍.

– Wild Artic: Um simulador muito legal de uma expedição no Ártico, no final você entra num hall com animais polares, como pinguins e até um urso polar branco gigantesco. Tanto nesta atração como na Empire of the Penguin o clima é bem confortável para os bichinhos🐧🐼, ou seja, moooito frio❄.

A gente achou que ia entortar porque do lado de fora estava um calor escaldante e lá dentro um frio congelante…
– Antarctica: Empire of the Penguin: a atração mostra como é a vida dos pinguins no polo sul, o começo da atração tem um filme bem explicativo, em seguida você tivemos que escolher o nível de intensidade da atração: leve (mild) ou radical (wild), adivinhem qual escolhemos🙃?!? Dai a gente entra em um carrinho que fica fora de trilhos em uma aventura pela Antarctica. Apesar de escolhermos a radical acho que era bem leve. Kkkkk

– Shark Encounter: Um aquário com vista embaixo d’agua onde pudemos observar os tubarões🦈.

– Shamu Underwater Viewing: Assim como no aquário dos tubarões, dá pra ver as baleias brancas 🐳 por baixo da água. Mas elas são mais encantadoras que assustadoras, ao contrário dos tubarões.

– Clyde and Seamore’s Sea Lion High: o show tem lontras, morsas e os leões marinhos, esse show acontece em um cenário de escola e é super bem feito. Os animais dão um show🔝. Foi o primeiro que assistimos…

– Kraken Unleashed: Essa montanha russa é bem forte. A temática dela é baseada no monstro do mar chamado Kraken, tem bastante velocidade, altura e looping. Você usa um óculos especial que te faz sentir debaixo do oceano.
Fizemos ela várias vezes e na última fomos na primeira fileira e sem os óculos, também vale a pena. São sensações bem diferentes com o óculos e sem mas as duas são ótimas!
– Journey to Atlantis: Essa é a Splash Mountain do Sea World que não molha tanto quanto as da Disney e da Universal.
Gostamos.

– Dolphin Days (Dolphin Theater):🐬🐬 O show com golfinhos que são incrivelmente sincronizados e velozes, os treinadores interagem com eles e até umas araras participam do show e nos impressionou por também serem super sincronizadas. É lindo!!!

– Manta: Pra mim essa é a melhor das montanhas russas de Orlando e a melhor que já fui na vida. A Manta imita uma “raia marinha”, a gente fica de barriga pra baixo no carrinho e até  dá um pouquinho de medo no começo, mas só no começo. Curti muito o passeio panorâmico pelo Sea World. É diferente de todas as outras montanhas russas, realmente faz sentir a sensação de estar voando.

– Mako: É “apenas” a montanha russa mais rápida, alta e longa de Orlando. Imperdível para todo mundo que gosta de adrenalina.
Ela tem nove pontos de gravidade zeroooo, a gente fica preso só pelas pernas e por isso você sente o corpo se soltar da cadeira nestes pontos… uma loucura maravilhosa!

– Pacific Point Preserve: aqui pudemos admirar as focas se exibindo enquanto tomam um solzinho e curtem uma preguicinha.

– Dolphin Cove: é  um tanque cheio de bebês golfinhos, assistimos a tratadora mostrando os primeiros “truques” aprendidos.

– Pets Ahoy!: um show com animais mais domésticos e adestrados. O show é muito bem feito, com cachorros, gatos, ratinhos, pássaros, gambá e até um porco… amei😍.

– Sky Tower: é uma torre que sobe a 400 pés de altura e tem uma vista panoramica de Orlando. Nós ficamos empolgados na Kraken e saímos quando já estava quase na hora do show de fogos que o parque faz no encerramento, como faltava esta atração fomos e foi ótimo.  Assistimos tudo lá de cima, com uma vista super privilegiada. Fechamos o parque e a semana com chave de ouro. #rhainna

Esta foi a visão que tivemos do show de encerramento no Sea World. Infelizmente o vídeo não consegue transmitir toda beleza do momento, mas nós asseguramos que é lindo, vale a pena esperar por ele.

Partiu Atlanta!

#rhainna 

CIDADE II – ORLANDO

Orlando é uma cidade do Estado da Flórida, o mesmo de Miami, que é ponto turístico mundialmente famoso graças aos diversos parques temáticos que se encontram nela, entre eles o Universal Studios, Magic Kingdon – Disney Word, Sea Word e Island of Adverture.

Campo de golfe temático em Orlando.

Ficamos quatro dias na cidade e fomos a quatro parques temáticos (jornada muito cansativa, mas muitíssimo divertido) e na última noite saímos e fomos ao parque de diversões que fica em Old Tow, e lá também assistimos a parada de carros antigos que acontece todos os sábados  e fomos jantar com um casal de amigos.

Rock & Brews

Nosso amigos Carol e Erick, que moram na cidade, foram conosco ao parque de diversões em Old Tow, onde andamos num brinquedo muito muito legal chamado Sling Shot, e depois eles nos levaram para jantar em um rock bar, chamado “Rock & Brews”, que pertence a dois integrantes da banda Kiss. Lindo lugar, com música ao vivo de altíssima qualidade e ótima comida.

O cidade é muito bonita, limpa e organizada e o clima é úmido e bem quente, combinação que faz você achar que está derretendo. #eduardo

Nossa vontade era de conhecer todos os parques, mas são tantos que demandaria muito mais tempo na cidade. Optamos por ir aos mais recomendados. Na próxima publicação falaremos deles. #rhainna 

INDO ÀS COMPRAS EM MIAMI!

Vir a Miami e não ir às compras é como ir à Roma e não ver o Papa e com a ajuda do nosso amigo e Personal Concierge, Douglas Ribeiro, tudo ficou mais fácil e barato. A cidade possui uma infinidade de outlets, mas ele nos indicou os melhores lugares da cidade:

SAWGRASS MALL – é um grande complexo de lojas de várias marcas adoradas e desejadas pelos brasileiros mais consumistas. O local é tão grande que em um dia inteiro, só conseguimos conhecer metade das lojas, a outra metade ficou para a próxima vez que formos lá. Você já sai de lá com vontade de voltar.

Chegamos ao local por volta das 10 horas da manhã e saímos as 22 horas da noite, cansados, mas satisfeitos com a qualidade dos produtos comprados e com a economia feita, já que alguns produtos aqui, como as roupas da Polo Wear, estavam por um preço inacreditável, por exemplo uma calça jeans, que absurdamente, custa aí no Brasil R$ 900,00 Reais, aqui estava sendo vendida por $ 75 Dólares, ou seja, cerca de R$ 240,00. E vários outros produtos e marcas estavam com ótimos preços. #eduardo

Acho que nós nos empolgados um pouquinho com tanta oferta de produtos de boas marcas e compramos tanto que não foi fácil colocar tudo no Camaro. Nós compramos quatro malas grandes e aproveitamos para guardar as compras nelas. Porém, fizemos isso no final das compras. O ideal é comprar as malas no início das compras, ou já trazer uma para ir colocando tudo que comprar e ficar até o final carregando-as consigo.

Soubemos apenas depois que cometemos um erro quando fomos levando as compras para o carro e retornávamos para o shopping. Não recomendamos isso. Corremos o risco de ter o carro arrombado e nossos pertences furtados. Fato que ocorre com frequência com os turistas por aqui, como nos relataram. #rhainna

WALMART – Sei que pode a princípio parecer estranho, numa viagem internacional visitar um supermercado, mas nossa viagem é um pouco atípica pela sua duração – três meses, e pelo seu objetivo, que vai além do de um turista comum, queremos conhecer os principais pontos turísticos da cidade e também tentar entender um pouco da cultura americana, já que vamos percorrer mais de vinte estados americanos.

O Walmart é uma espécie de ícone comercial do país, e quando você entra nele entende o quão grande e cheio de variedades ele é, assim como a econômica americana.

Para não perder muita coisa naquela selva de fileiras, colocamos em prática nosso tirocínio policial e começamos a explorar o labirinto, fazendo fatiamento e progressão. O local estava repleto de pessoas e presumo que os únicos turistas que estavam lá, eram só nos dois mesmo. #eduardo

Mais uma vez ficamos empolgados com tanta variedade e saímos de lá com outra grande quantidade de compras.

Havíamos ouvido tanto sobre a variedade do Walmart, que mesmo sendo muito superior a qualquer hipermercado brasileiro, ficamos meio decepcionados na primeira visita. Acho que havíamos criado muita expectativa. #rhainna 

Mais uma vez a ajuda de um local foi de grande valia. Um amigo brasileiro, residente na cidade, nos indicou outro supermercado da rede, onde fomos na semana seguinte e lá sim nossas expectativas foram atendidas, inclusive haviam armas, munições e artigos de cutelaria à venda nas prateleiras. Isso é o que nos toca😉. Portanto, é bom se informar sobre as lojas da mesma rede que atendem seus interesses antes de simplesmente seguir o Google maps ou waze, que vão apenas te direcionar para o mais próximo do seu local.

Em nossa saga de compras, no terceiro dia fomos para o centro da cidade, que é muito bom para compras, mas segundo informações do nosso amigo Douglas, não é muito legal para ficar dando bobeira. Mas aproveito para dizer que a cidade toda é extremamente segura, limpa, ordeira e organizada. #eduardo

DOWNTOWN (centro da cidade) -compramos tênis, óculos, relógios e perfumes, já que nosso Personal Concierge tem os contatos certos que nos deram ótimos descontos nessas compras, chegando à 45% do valor de cada produto que, em regra, já é muito mais barato que o cobrado no Brasil. No total, foram quase $ 1.000,00 de descontos, o que passa de R$ 3.000,00. Isso graças às parcerias do Douglas e da Royal Premier com os comerciantes. Além disso, nestes locais, os preços são ainda melhores que nos próprios outlets. Inclusive, para nossa decepção encontramos alguns produtos nas lojas de Downtown pela metade do valor que pagamos no Sawgrass😒.

BASSPRO – Este lugar é o paraíso para quem gosta de pescaria, ou para aqueles que como nós, são amantes das armas de fogo. Da primeira vez, fomos na loja do Dolphin Mall e ficamos impressionados. Mas ficamos sabendo de outra BassPro muito em Dania Beach e ficamos ainda mais deslumbrados, pois ela é maior e tem ainda mais variedade que na primeira. Fizemos compras enormes nas duas lojas e mesmo assim não compramos muito do que queríamos por não podermos levar para o Brasil😭😭. Tudo material controlado.

Além de uma variedade de produtos bélicos inexistente no Brasil, os preços são tão menores que nos faz ter depressão. Armas de todos os modelos e marcas, munições, equipamentos táticos, insumos bélicos e até máquina de recarga de municões. Esta é a loja dos sonhos dos atiradores brasileiros e imagino que agradaria demais os pescadores também. Na unidade de Dania Beach, ainda tem um restaurante super estiloso e com um vista maravilhosa de um lago que cerca a loja.

AVENTURA MALL – este é o maior shopping convencional da Florida, fomos lá sem nos programar. Estava a procura de um produto para pele, muito recomendado, e ao pesquisar na internet dizia que eu o encontraria em uma loja naquele shopping, mas não o encontrei!

Era domingo a tarde e havia uma feirinha de guloseimas bem legal lá dentro do shopping. Tinha comidinhas fit e gordices. Eu aproveitei pra degustar quase tudo, só porque #soudessas rsrs…

Neste shopping tem várias lojas de grifes legais mas nada de out lets. Embora nos Estados Unidos, os preços normalmente são muito baratos, se comparados ao que pagamos no Brasil. Tem até  um showroom de automóveis da Tesla, um espetáculo a parte para os amantes de carros.

No segundo piso, tem uma loja chamada Godiva Chocolatier… super recomendo a visita! Um sorvete estupendo e o melhor chocolate com morangos que já comi. Até meu maridinho, que não é fã de doces, gostou muito. 

Sei que está parecendo que eu só penso em comer, mas realmente só comi no Aventura Mall. Inclusive havia muito mais para ser visto mas nós não estávamos inspirados para bater pernas, nem para fazer compras.

Provavelmente voltaremos lá em nossa segunda estada em Miami, e mais uma vez pra comer rsrs… no shopping tem um restaurante chamado cheesecake factory, que é um local obrigatório para turistas. Não conseguimos ir da primeira vez mas certamente ainda iremos.

LINCOLN ROAD MALL – muito mencionado pelas celebridades, é descrito pelos locais como um shopping e me surpreendi quando percebi que se trata de um centro comercial, ou um shopping a céu aberto. Pode ser comparada a Rua Oscar Freire, em São Paulo, que além de lojas badaladas, conta com atrações gastronômicas e atrai turistas à passeio. Durante o dia é ótimo para quem quer fazer compras e a noite ir à um bar ou restaurante legal. Opções não faltam, e o visual impressiona, mas adianto que algumas tem os preços mais salgadinhos.

Pra mim a melhor parte por lá, foram as lojas de maquiagem e produtos de beleza. Comprei produtos reconhecidos pelas maquiadoras brasileiras à preços inacreditáveis. Super recomendo. São tantas lojas legais que fica difícil listar.

BRICKELL CITY CENTRE – recém inaugurado, faz parte do complexo de hoteis East Miami, bem grande, cheio de lojas legais e conta com algumas grifes brasileiras que ainda não tinham lojas em Miami como a Carmen Steffens e Jorge Bischoff, este shopping é um espetáculo porém nada barato e deixa a desejar pela falta de ar condicionado em seus corredores. Miami é uma cidade moooito quente, e praticamente se vive sob ar condicionado. Pessoas como eu, um tanto encaloradas, ficam incomodadas. Mesmo não sendo outlet e tendo apenas lojas de grifes mais caras, para nós brasileiros, compensa por serem valores muito inferiores aos cobrados no Brasil pelas mesmas marcas. Por exemplo, a loja da Victória’s Secret, super compensa comprar lingerie, hidratantes, perfume e até roupas fit… enfim, recomendo conhecerem e tirarem suas conclusões.

WALLGREENS – assim como o Walmart, é no mínimo estranho colocar uma drogaria em nossa relação dos locais de compras. Mas esta rede é muito diferenciada, começando pelos remédios que você pode escolher livremente nas prateleiras, você encontra cosméticos, vestuário, material de papelaria, de limpeza,eletrônicos e até comida e bebida no local😨😨. 

Você vai à farmácia comprar um medicamento e compra tudo que precisa. Além da versatilidade, é possível encontrar a loja com facilidade. Há muitas espalhadas por toda a cidade e no país todo. Perdi as contas de quantas visitas fizemos a elas😁. #rhainna

A PARTIDA E A CHEGADA 

Saímos de casa com as três imensas horas de antecedência que a empresa pede e fomos para o super moderno e imenso – SQN – Aeroporto Internacional de Goiânia, que de Internacional só tem o nome, já que de lá não sai nenhum vôo para fora do país. Fizemos o check in normalmente, para isso basta levar seu passaporte com visto e obedecer as instruções sobre bagagem despachada – aquela que não vai conosco – e principalmente as bagagens de mão. As regras são as mesmas para todas as empresas aéreas, visto que são regulamentadas e fiscalizadas pela ANAC.

Infelizmente os atrasos começaram logo no primeiro vôo para São Paulo, que mesmo sendo um vôo doméstico, teve problemas. Depois que todos já estavam à bordo, com a aeronave já taxiando, o avião teve que voltar por causa de problemas técnicos. Quando o comandante anunciou que por medidas de segurança teríamos que voltar, teve muita gente arregalando os olhos. Após um atraso de mais de uma hora o avião alçou vôo, junto com as orações silenciosas e sorrateiras dos mais aterrorizados por medo de avião. #eduardo 

Chegamos ao Aeroporto de Guarulhos, onde fizemos conexão para Houston, e só não perdemos o vôo, em virtude do atraso do primeiro, porque este também estava com uma hora de atraso. De qualquer forma nossa chegada foi uma correria, quem conhece o Aeroporto de Guarulhos sabe como é grande. Qualquer deslocamento leva bastante tempo, tivemos que correr boa parte do trajeto acompanhando o funcionário da empresa, pra nós não houve problemas quanto a isso, porque temos preparo físico, mas uma pessoa sem preparo ou idosa teria tido muita dificuldade. Ter pouca bagagem de mão facilita bastante nessas horas, pois além de ser menos peso para carregar, evita a perda durante a correria toda.

Depois de todos os atrasos possíveis, embarcamos para a terra do Tio Sam. Como já eram mais de 22 horas e só chegaríamos em Houston pela manhã, foram servidos jantar (que eu não gostei), sobremesa e café da manhã à bordo.  A empresa ainda forneceu uma manta e um travesseiro para passar a noite. O único inconveniente é a falta de espaço na classe econômica, o que nos fez querer a primeira classe na viagem de volta – quem não quer, né? 😁. O espaço para dormir confortavelmente faz toda diferença. A temperatura fica por volta dos 16°C, então se você acha frio é bom levar algo para se agasalhar. #rhainna 

Durante o vôo, os comissários de bordo entregam aos estrangeiros que irão entrar nos Estados Unidos uma ficha onde você deverá declarar algumas informações – leve uma caneta na bolsa. Dentre outras coisas que eles perguntam, o Tio Sam quer saber quanto dinheiro em espécie você está levando, seja em moeda do seu país ou em dólar.

O assunto envolvendo valores a serem levados para dentro do país, possui alguns detalhes menores que devem ser obedecidos, para saber mais sobre ele clique aqui. #eduardo 

Como já era de se esperar, ao chegar em Houston perdemos a conexão para Miami. Fora o atraso dos voos anteriores, tínhamos que pegar a bagagem despachada, passar pela alfândega, despachar novamente e ainda fazer mais um longo trajeto até o local de embarque. Por este motivo, nossa chegada à Miami que estava prevista para o final da manhã, só aconteceu no início da noite, o que nos chateou um pouco, porque estávamos planejando participar das comemorações de 4th de Julho – Independence Day. 

Como Houston foi a primeira cidade americana a desembarcarmos, passamos pela temida imigração e depois pela alfândega neste aeroporto. Na imigração solicitaram e verificaram nossos passaporte e nos questionaram se viemos a trabalho ou a passeio, onde iríamos ficar e qual a data de retorno para o Brasil. Essa entrevista é um pouco tensa, já que o visto de turismo não é garantia de entrada no país. Mesmo com o visto em mãos, se eles não gostarem da sua cara, não autorizam sua entrada.

Na alfândega entramos em uma fila bem demorada, onde os guardas checaram nossas bagagens, abriram as malas de mão onde colocamos apenas remédios e não pediram para ver as receitas médicas, mesmo havendo remédios injetáveis entre os itens. É prudente sempre trazer as receitas médicas referentes aos remédios trazidos nas bagagens. 

Determinam retirar os sapatos, esvaziar os bolsos, retirar cintos, objetos metálicos e eletrônicos e passamos por um scanner e sustenta aciona o detector e que evitem também acessórios que também tenha que ser retirado. São momentos críticos em que muitos pertences podem ser esquecidos ou perdidos. Vimos alguns americanos viajando com roupas que pareciam pijamas, durante a passagem pela alfândega percebemos o quanto isso facilitou a vida deles. #rhainna

Pequenos detalhes do dia a dia: os banheiros aqui são como na Europa, não possuem cestos de lixo, o papel higiênico e lançado direto no vaso sanitário, o que no Brasil é diferente. As tomadas aqui também são de um padrão diferente do usado na terra Brasilis, mas no próprio aeroporto você consegue comprar um kit de adaptação ou mesmo um carregador de celular com o padrão daqui, mas já alerto que no aeroporto é mais caro, se você puder comprar em outro lugar é melhor. #eduardo 

Chegamos ao Aeroporto de Miami e ao contrário do Aeroporto de Houston, não havia Wi-Fi liberado. Precisávamos de internet para contactar nosso personal concierge. Após várias tentativas, fomos informados que ao chegar de um vôo naquele aeroporto, teríamos direito a 30 minutos de acesso gratuito, porém, ninguém soube nos informar como fazer. Também não havia estabelecimento onde poderíamos utilizar a rede, nem mesmo pagando. Partimos para o uso dos telefones públicos, lemos as informações e utilizei minhas moedas para pagar, porém, apesar de colocar as moedas, o telefone continuava acusando a necessidade do pagamento e eu muito impaciente que sou, coloquei todas as moedas que tinha. Resultado: Não consegui fazer a ligação e o telefone não devolveu minhas moedas. Só depois soube que deve-se colocar uma única moeda do valor da ligação, não várias até completar o valor 😬. Fomos mais uma vez em busca de informações para tentar fazer uma ligação ou mesmo outro lugar que poderíamos usar a internet, nesta hora uma funcionária latina, muito gentilnente e de forma voluntária  nos fez o favor de emprestarnos o celular, só assim pudemos encontramos nosso concierge, que já estava no aeroporto nos procurando e fomos para o hotel.

Welcome to Miami Beach.

Como já havia contado em um post anterior, fechei a hospedagem da primeira semana em Miami pela companhia de viagens CVC, junto com a compra das passagens aéreas e o seguro. Como ainda não havia contratado os serviços de consultoria para a viagem, tinha apenas a intenção de ter um lugar definido inicialmente, para ficar ao chegarmos e só então decidirnos com tempo para onde iríamos depois. 

Fomos para o Lexington Hotel, em Miami Beach. Quando chegamos lá o hotel estava as escuras, sem energia elétrica, sem sistema para fazermos nosso check in e sem elevador para subir para o quarto, imagina carregar um monte de malas quatro andares acima!

Como queríamos no mínimo ver a queima dos fogos de artifício, estávamos com pressa e deixamos as malas na recepção. Precisava também trocar de roupa, pois o calor de Miami já estava mostrando sua cara, para isso tive que usar um sanitário do saguão do hotel para trocar de roupa e rapidamente saímos para a praia a tempo de ver as comemorações ao Independence Day.

Nosso personal concierge,  levantou informações sobre o hotel e disse que haviam recorrentes reclamações de falta de energia e ainda relatos de um inseto conhecido popularmente por aqui como bedbugs, que além de picar as pessoas, causando fortes reações alérgicas, ainda se escondem nas roupas e viram um tipo de praga difícil de eliminar. Isso foi o suficiente para não querermos mais voltar para o lugar e como já haviamos fechado com o concierge o apartamento onde ficaríamos depois da estada neste hotel, ele adiantou a data e fomos direto pra lá. Quando voltamos para buscar nossas malas, cerca de cinco horas depois, o hotel ainda estava sem elevadores e sem sistema de funcionamento, ou seja, a melhor decisão foi sair de lá. Não sabemos se vamos ou não receber o dinheiro de volta. Vamos informar o fato a empresa e ver no que dá.

Vista do Condomínio Maison Grande em Miami Beach.

Eu sou extremamente detalhista para escolher hospedagem, desta vez confiei na CVC e me decepcionei muito. Não recomendo este hotel e nem esta empresa, já que é obrigação dela saber que tipo de hospedagem ela está oferecendo para seus clientes. Mais uma vez, se você pretende vir aos EUA, indico o Douglas Ribeiro – personal concierge da Royal Premier – clique aqui para acessar o Instagram. Ele sim tem compromisso com as indicações que faz, além de dar assistência para todos assuntos relacionados a viagem e sempre com preços justos. #rhainna